sábado, abril 29, 2006

Subtileza

Para que não digam que aqui neste blog não se aprende nada, cá vai uma lição: limpar... elegantemente!

(enviado por Susy)

Racismo é Burrice

A seguinte cena aconteceu em um vôo da British Airways entre Johannesburgo (África do Sul) e Londres. Uma mulher branca, de aproximadamente 50 anos, chegou ao seu lugar na classe econômica e viu que estava ao lado de um passageiro negro. Visivelmente perturbada, chamou a comissária de bordo.

"Qual o problema, senhora?" - perguntou a comissária.
"Não está vendo?" - respondeu a senhora - "vocês me colocaram ao lado de um negro. Não posso ficar aqui. Você precisa me dar outra cadeira".
"Por favor, acalme-se - disse a aeromoça -"infelizmente, todos os lugares estão ocupados. Porém, vou ver se ainda temos algum disponível".
A comissária se afasta e volta alguns minutos depois.
"Senhora, como eu disse, não há nenhum outro lugar livre na classe econômica. Falei com o comandante e ele confirmou que não temos mais nenhum lugarna classe econômica. Temos apenas um lugar na primeira classe".
E antes que a mulher fizesse algum comentário, a comissária continua:"Veja, é incomum que a nossa companhia permita à um passageiro da classe econômica se assentar na primeira classe. Porém, tendo em vista as circunstâncias, o comandante pensa que seria escandaloso obrigar um passageiro a viajar ao lado de uma pessoa desagradável". E, dirigindo-se ao senhor negro, a comissária prosseguiu: "Portanto, senhor, caso queira, por favor, pegue a sua bagagem de mão, pois reservamos para o senhor um lugar na primeira classe..."
E todos os passageiros próximos, que, estupefactos, assistiam à cena, começaram a aplaudir, alguns de pé.

"O que me preocupa não é o grito dos maus. É o silêncio dos bons."
Martin Luther King

quinta-feira, abril 27, 2006

Nada é impossível...


quarta-feira, abril 26, 2006

Qual é o melhor coro?

Não sei se se lembram do anúncio da Honda que causou furor (em que um coro reproduzia todos os sons que o carro fazia). Agora surgiu uma paródia desse popular anúncio que na minha opinião está muito melhor que o original.

Roubalheira


sexta-feira, abril 21, 2006

Se eu quisesse "desenlouquecia"... mas não quero

Onde está a graça?
Sempre que me perguntam se deve haver limites para o humor, minto com quantos dentes tenho na boca (que, ao contrário do que acontece com a esmagadora maioria da população portuguesa, são ainda 32), e digo que não. Na verdade, creio que não se deve fazer humor sobre
tudo. Há um tema que, por ter que ver com crenças muito profundas, com convicções estruturantes da personalidade, e com valores eternos e sagrados, não deve ser tocado pela comédia. Esse tema é, evidentemente, o Sport Lisboa e Benfica.
Atenção: não estou a brincar. Aquilo que eu sinto pelo Benfica, o espaço que o Benfica ocupa na minha vida e nas minhas preocupações aproxima-se, admito, da demência. Mas, pervertendo
a frase famosa de Herberto Helder, se eu quisesse, "desenlouquecia". Tenho a certeza de que, se me puser a pensar no assunto, consigo deixar de sofrer cada vez que aquele grupo de onze milionários não acerta bem com os pontapés numa esfera cheia de ar. Só que não quero.
No dia em que perdemos com o Celta de Vigo por aquele resultado, a dez minutos do final do jogo, eu dizia para mim: "se marcarmos um golo já, talvez ainda consigamos empatar isto". Repito: não estou a brincar. Acreditava mesmo que a reviravolta era possível. Portanto, não me digam que as crenças religiosas são profundas. Eu acreditei que uma equipa em que o Paulo Madeira, o Ricardo Rojas e o Calado eram titulares conseguia virar aquele resultado, apenas porque eles vestiam umas certas camisolas vermelhas. Ao pé disso, acreditar que Cristo conseguia ressuscitar mortos é, claro, uma brincadeira de crianças.
É evidente que, apesar de tudo, para mim há coisas mais importantes na vida do que o Benfica. Tenho é dificuldade de me lembrar que coisas são essas. Ah, por exemplo: a minha filha. Quando a minha filha nasceu, mandei para todos os meus amigos a seguinte mensagem: "A Rita nasceu. Já somos seis milhões e um". E quando a enfermeira me entregou a menina, pensei: "Esta é a coisa mais importante da minha vida e eu não sei como lhe hei-de pegar. Como é que se pega na coisa mais importante do Mundo?" E então peguei-lhe exactamente como o José Águas pegou na Taça dos Campeões, em 61 e em 62, beijei-a na testa, levantei-a no ar e... OK, internem-me. Preciso de ajuda.

Ricardo Araújo Pereira

(enviado pela Susy)

Barreira


quarta-feira, abril 19, 2006

Paraíso Vs. Inferno

O QUE É O PARAÍSO?
É um lugar onde:
- a polícia é britânica
- os cozinheiros são franceses
- os mecânicos são alemães
- os amantes são portugueses
- e tudo é organizado pelos suecos

O QUE É O INFERNO?
É um lugar onde:
- a polícia é alemã
- os cozinheiros são ingleses
- os mecânicos são franceses
- os amantes são suecos
- e tudo é organizado pelos portugueses...

segunda-feira, abril 17, 2006

A partilha

quinta-feira, abril 13, 2006

Jogo de Ténis

Para quem esteja de férias (e não só) deixo em baixo um link fantástico de um jogo de ténis na internet. É um jogo fenomenal!!!

O porquê de se riscar o sete

Até os dias actuais, muitas pessoas quando escrevem o número 7, ainda o fazem utilizando uma barra horizontal (traço) suplementar na metade do algarismo.
Oficialmente, este pequeno traço não existe, como dá para constatar digitando a tecla 7 do teclado do seu computador, calculadora ou qualquer outro aparelho que possua teclado. Agora eu coloco esta questão:
Vocês sabem a origem deste costume?

Para responder temos que voltar muitos séculos atrás, aos tempos bíblicos, quando Moisés estava no Monte Sinai e lhe foram ditados os 10 mandamentos. Ele, em voz alta, foi dizendo à multidão, um por um. Quando chegou ao número sete, Moisés anuncia:
- Não desejarás a mulher do próximo.

Um breve silêncio e a multidão gritou em coro: "Risca o sete, risca o sete!!!"

Privacidade


Grande ideia

A mais recente (ou não) utilidade da webcam.

Napoleão e Sócrates

Os livros registram "A história..."

«Napoleão Bonaparte, durante suas batalhas usava sempre uma camisa de cor vermelha. Para ele era importante porque, se fosse ferido, na sua camisa vermelha não se notaria o sangue e os seus soldados não se preocupariam e também não deixariam de lutar. Toda uma prova de honra e valor.»

Duzentos anos mais tarde, José Sócrates usa sempre calças castanhas...

terça-feira, abril 11, 2006

sábado, abril 08, 2006

Anúncio


A versão feminina para a origem da vida...

Recebi isto por mail (da Susana) e, apesar de ser contra nós, homens, como achei piada resolvi publicar.


Um dia, no jardim do Éden, Eva disse a Deus:
- Deus, tenho um problema!

- Qual é o teu problema, Eva?

- Deus, sei que me criaste e me deste este maravilhoso jardim e todos estes maravilhosos animais e esta serpente tão graciosa, mas... não sou feliz.

- Porquê, Eva? - disse a voz lá de cima.

- Deus, estou sozinha e não aguento comer mais maçãs.

- Bem, Eva, nesse caso, tenho uma solução. Criarei um homem para ti...

- O que é um homem, Deus?

- Um homem será uma criatura defeituosa, com muitos atributos negativos. Mentiroso, arrogante, vaidoso; em resumo, fará da tua vida um inferno. Mas...será maior, mais rápido, e vai caçar e matar animais para ti. Terá um aspecto estúpido quando ficar excitado, mas, para que não te queixes, criá-lo-ei com o objetivo de satisfazer as tuas necessidades físicas. Será patético e sentirá prazer em coisas infantis, como lutar e dar pontapés numa bola. Não será muito inteligente e vai precisar do teu conselho para pensar adequadamente.

- Parece óptimo - disse Eva com um sorriso irônico.

- Porém...

- Qual é o problema, Deus?

- Bem... irás tê-lo com uma condição.

- Qual, meu Deus?

- Como te disse, será orgulhoso, arrogante e egocêntrico... Assim terás que deixar que ele acredite que eu o fiz primeiro.

Sex simbol


quinta-feira, abril 06, 2006

Casamento é...

Para quem é casado(a) e não só.
É SEMPRE BOM LEMBRAR QUE o casamento é:
1. Acto religioso mediante o qual se cria mais um Cristo e se extingue uma virgem.
2. Única sentença de prisão perpétua que pode ser cancelada por mau comportamento.
3. Situação em que nenhuma mulher tem o que esperava e nenhum homem espera o que tem.
4. Matematicamente: soma de afecto, subtracção de liberdade, multiplicação de responsabilidades e divisão de bens.
5. Considerado a principal causa de divórcio.
6. Processo químico através do qual uma laranja se transforma em um limão.
7. Catalisador da engorda.
8. A única guerra onde se dorme com o inimigo.

Há dias assim...

terça-feira, abril 04, 2006

Nomes feios

Todos gostaríamos que os nossos filhos, sobrinhos, netos, irmãos mais novos ou alunos predilectos lessem um pouco mais do que já têm de ler por obrigação, temperamento ou aprendizagem. E o que fazer quando eles lêem algo que não é suposto ler antes dos 18 anos? Como um bom dicionário, por exemplo. A Porto Editora tem nas lojas (e nas mãos das crianças) uma "nova edição" de dicionários académicos de bolso (capa azul) que é um verdadeiro achado. Diz que tem mais de 55 mil definições, mas talvez pudesse ter apenas 54 995. Bastava retirar uma definição da página 151 em que diz que c***lho é "s.m. (vulg) pénis" ou "interjeição indicativa de espanto, impaciência ou indignação". Na página 196, fica-se a saber que "c**a" é um substantivo feminino, "(vulg) vagina". E o que dizer do popular e insurrecto verbo da página 377: "F**er. 1. (vulg) Ter relações sexuais 2. (vulg) Prejudicar. F**a-se! Exclamação que exprime impaciência ou indignação". Será por causa disso que se trata de um dicionário de bolso? Esperemos que as crianças nunca chegum à página 657: "Prim***o-mi**stro: chefe de governo num sistema parlamentar". Isso sim, um nome feio.
Miguel Somsen in Metro (24/11/05)

domingo, abril 02, 2006

Incesto

Só há uma palavra para descrever isto: incesto!

Surpresa mediaval